O Impacto dos Aplicativos de Mobilidade nas Locadoras de Automóveis Brasileiras

Palabras clave: Economia Compartilhada, Mobilidade, Uber, Locadoras de Automóveis

Resumen

Diante de um cenário econômico pós-crise, o surgimento dos aplicativos de mobilidade pode ocasionar um aumento em suas receitas do setor de locação de automóveis. O presente trabalho foi elaborado com o intuito de identifi car os impactos dos Aplicativos de Mobilidade nas Locadoras de Automóveis Brasileiras. Para isso, torna-se necessário revisar os conceitos de teoria da fi rma, oferta e demanda, comportamento do consumidor e economia compartilhada. A partir de dados de faturamento divulgados pelas empresas em bolsas de valores, utiliza-se o método de correlação Pearson (r) para verifi car a relação entre as variáveis e se realmente há impacto. O resultado foi positivo, já que a correlação foi próxima a 1, mostrando que sim, o surgimento da Uber impactou positivamente para o faturamento das locadoras de automóveis. Porém, existem outros fatores que podem infl uenciar o crescimento no faturamento, como revenda de seminovos e gestão de frotas. Devido a utilização de dados divulgados em bolsa, sem divisão da receita, conclui-se que o surgimento dos aplicativos de mobilidade impactou no crescimento do setor de locação de automóveis, mas não se pode mensurar esse impacto.

Citas

B3. Empresas listadas. Recuperado de: http://www.b3.com.br/pt_br/produtos-eservicos/negociacao/renda-variavel/empresas-listadas.htm.

Capozzi, A., Hayashi, G., & Chizzola, R.. (2018). Boletim de inovação e sustentabilidade: economia compartilhada. São Paulo. Recuperado de: https://www.pucsp.br/sites/default/files/download/bisus2018-vol1-economia-compartilhada.pdf.

Equipe Uber. (2020). Fatos e dados sobre a Uber. Recuperado de: https://www.uber.com/pt-BR/newsroom/fatos-e-dados-sobre-uber/.

Exame. (2019). Como a Uber fez o lucro das montadoras de veículos no Brasil cair. Recuperado de: https://exame.com/negocios/como-a-uber-fez-o-lucrodas-montadoras-de-veiculos-no-brasil-cair/.

Figueiredo Filho, D. B. et al. (2014). Desvendando os Mistérios do Coefi ciente de Correlação de Pearson: o retorno. Leviathan Cadernos de Pesquisa Política, (8), 66-95. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2237-4485.lev.2014.132346.

IBGE. (2019). PIB varia 0,4% no 2º trimestre de 2019. Elaborado pela Agência IBGE Notícias. Recuperado de: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agenciasala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/25298-pib-varia-0-4-no-2-trimestre-de-2019.

Jensen, M. C. et al. Teoria da fi rma: comportamento dos administradores, custos de agência e estrutura de propriedade. Revista de Administração de Empresas, 48(2), 87-125. Recuperado de: https://www.scielo.br/pdf/rae/v48n2/v48n2a13.pdf.

Localiza. (2020). Demonstrações fi nanceiras 2019. Recuperado de: https://s3.amazonaws.com/mz-filemanager/08f327aa-e610-4d9d-b683-8ff0f7caae07/b3b52442-77e2-4ca1-bb32-f212d43c046a_Demonstra%C3%A7%C3%B5es%20Financeiras%202019%20-%20Localiza.pdf.

Macedo, N. D. (1996). Iniciação à pesquisa bibliográfi ca: guia do estudante para a fundamentação do trabalho de pesquisa. São Paulo: Unimarco. Recuperado de: https://books.google.com.br/books?id=2z0A3cc6oUEC&pg=PA13&dq=pesquisa+bibliogr%C3%A1fica&hl=ptBR&sa=X&ved=0ahUKEwjr2syZ0bHpAhUWDrkGHdHSD4cQ6AEIJzAA#v=onepage&q=pesquisa%20bibliogr%C3%A1fica&f=false.

Pádua, E. M. M. (2007). Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. Campinas: Papirus, Recuperado de: https://books.google.com.br/books?id=72nMi8qNRJsC&pg=PA55&dq=pesquisa+bibliogr%C3%A1fica&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjr2syZ0bHpAhUWDrkGHdHSD4cQ6AEIQjAE#v=onepage&q=pesquisa%20bibliogr%C3%A1fica&f=false.

Martins, M. (2019). Unidas: lucro cresce 200% e vendas 168% em 2018. São Paulo: Panrotas Editora. Recuperado de: https://www.panrotas.com.br/mercado/locadoras-de-veiculos/2019/02/unidas-lucro-cresce-200-e-vendas-168-em-2018_162616.html.

Pindyck, R. S. & Rubinfeld, D. L. (2010). Microeconomia. Tradução de Eleutério Prado, Thelma Guimarães e Luciana do Amaral Teixeira. São Paulo: Pearson Education do Brasil.

Sales, C. A. de C.; Fernandes, R. Y. C.; Bastos, R. F. R. (2017). Impacto da crise econômica no comportamento do consumidor de supermercados. Conexio, 6 (1), 127-138. Recuperado de: https://repositorio.unp.br/index.php/connexio/article/view/1627.

Silva, A. B. de O.; Ferreira, M. A. T. (2009). Gestão do conhecimento e teoria da fi rma. Perspectivas em Ciência da Informação, 14(3), 116-139. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/s1413-99362009000300008.

Silva Filho, E. B. (2006). A teoria da fi rma e a abordagem dos custos de transação: elementos para uma crítica institucionalista. Revista Pesquisa e Debate, 17(2), 259-277. Recuperado de: http://ken.pucsp.br/rpe/article/view/11819/8544.

Tigre, P. B. (1998). Inovação e teorias da fi rma em três paradigmas. Revista de Economia Contemporânea, 2(1), 67-11. Recuperado de: https://revistas.ufrj.br/index.php/rec/article/view/19591/11356.

Vasconcellos, M. A. S; Oliveira, R. G. (200). Manual de microeconomia. São Paulo: Atlas.

Vasconcellos, M. A. S. (2011). Economia: micro e macro: teoria e exercícios, glossário com os 300 principais conceitos econômicos. São Paulo: Atlas. Recuperado de: https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books.

Vieira, R. M. (2010). Teoria da fi rma e inovação: um enfoque neoschumpeteriano. Cadernos de Economia, 14(27), 36-49. Recuperado de: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rce/article/view/1180.

Villanova, A. L. I. (2015). Modelos de negócio na economia compartilhada: uma investigação multi-caso. Recuperado de: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/15184/VERS%c3%83O%20FINAL%20DISSERTA%c3%87AO%20%20Ana%20Luisa%20Villanova.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

° encontro de gts de graduação. (2016). Economia Compartilhada: Uma visão histórica sobre o novo fenômeno mundial. São Paulo: Ppgcom Espm. Recuperado de: http://anais-comunicon2016.espm.br/gts/gtgrad/gt3/gt03-thais_stegun.pdf.

Publicado
2021-01-18
Cómo citar
Sbabo, A., & Rosa Gullo, M. (2021). O Impacto dos Aplicativos de Mobilidade nas Locadoras de Automóveis Brasileiras. YACHAQ, 4(1), Pág. 33-50. https://doi.org/10.46363/yachaq.v4i1.134
Sección
Artículos de Investigación